segunda-feira, 27 de abril de 2009

Os grotescos assolam o Brasil - "revisited"

Post originalmente publicado nos primórdios deste blog. Devido à baixa audiência da época, achei interessante repostá-lo, para poder dividir essa questão com os nobres leitores.


No Brasil, devido a várias circunstâncias históricas e geográficas, temos o ambiente propício à proliferação dos grotescos. Na minha concepção, os grotescos surgem quando não possibilitamos a formação de verdadeiros cidadãos. Eles são os não-cidadãos. Criados no vácuo formado pela falta de boas políticas educacionais e outras deformações econômicas e sociais surgidas no Brasil desde o seu descobrimento e colonização. O Brasil atual é campo fertilíssimo para a procriação desenfreada de grotescos. E não pensem os leitores que os grotescos são apenas pessoas desprovidas de educação formal. Não, há um número altíssimo de grotescos pós-graduados e pós-doutorados que perambulam por várias esferas decisórias do poder constituído. Brasília é um centro irradiador de grotesquices, talvez o maior deles. Em Brasília, os políticos têm feito da vida pública uma extensão da privada. Oligarquias e monopólios industriais também contribuem enormemente para a manutenção da grotesquice em nosso país. A grande mídia televisiva e escrita também tem os seus representantes pró-grotesquice que não fazem nada para melhorar os níveis de cidadania e consciência do nosso povo. Muito pelo contrário, há décadas que atuam apenas para garantir as benesses já conquistadas pela minoria mandante. Enfim, grotescos existem aos borbotões, e assolam as ruas, empresas, universidades, hospitais, ou seja, todas as instâncias e lugares desse enorme país. Atualmente, por onde quer que andemos, vemos demonstrações de toda sorte de grotesquices, seja pela falta de educação, seja pela ausência total de solidariedade com as outras pessoas, seja pelo egoísmo e pela mesquinharia. Basta tomarmos como exemplo mais gritante a conduta da maioria dos brasileiros no trânsito, onde o desrespeito a tudo e a todos grassa vergonhosamente.
Temos muito a falar sobre grotescos e grotesquices, mas fica para outras oportunidades, pois o material infelizmente é farto e já foi objeto de um manual elaborado por esse seu criado. A minha intenção é abrir a discussão sobre esta realidade, que acredito afetar aos leitores tanto quanto a mim.

5 comentários:

Sweet Toxicant disse...

Nossa, Alta... nem me fale... eu já andei perdendo a paciência com os mais diversos grotescos que encontro pela minha vida: no trabalho, no transporte público (argh!), na faculdade (graças a Deus já acabou), e uns e outros que aparecem como que brotados do solo. Mas, parece que nós vamos ficando calejados com o tempo. Ainda me irrito com os casos mais graves, mas com os corriqueiros, aprendi a simplesmente ignorar a existência, para eu não enlouquecer. Por isso ando sempre ouvindo música com meus fones de ouvido, assim me esforço para me concentrar nas músicas e não dar atenção a esses desprovidos de educação e bom-senso. Que mais eu posso fazer? Brigar eu já briguei... fazer cara feia... não vale a pena. Só finjo que não estou vendo nada. Hehehe.
Adorei este texto! Vamos discutir mais sobre a grotesquice humana!
Beijos!

Única e Exclusiva disse...

Eu sou tão pacífica que nem ligo tanto. Fico abismada com as groterices e num gesto impulsivo balanço a cabeça de negação. Mesmo tendo estudo as pessoas não se tocam. Porq será?! Tema pertinente.

Bjos ú&e
P.S.: Seguidora ativa!!!!

Altavolt disse...

Sweet: A gente não pode consertar o mundo. É fato. Mas tb não podemos perder a capacidade de nos indignarmos diante das sérias grotesquices humanas! Pois aí será a barbárie total! Beijão!

U&E: Valeu! É preciso, mesmo que discretamente, mostrar nossa posição contra as grotesquices humanas! Beijão!

Extase disse...

É sempre bom mostrar coisas antigas, para que não as esqueçamos. o teu texto é consiso e ainda assim atual, verdadeiro dobretudo.

Flávia Batista disse...

isso perpassa pela questão do respeito.
poucas são as pessoas que respeitam as outras hoje em dia... acho que é aquele tipo de coisa, você tem que tratar os outros, como gostaria de ser tratado.
Não sei, mas asvezes, acho que o melhor é tratar quem te trata mal, da mesma maneira. Só que ai, cai naquela coisa, eu estou me igualando a ela... é uma confusão só...

bjs

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...