quinta-feira, 19 de agosto de 2010

"Vote Tiririca, pior não fica!"

Que o horário eleitoral gratuito é um longo e interminável desfile de bizarrices e sandices todos nós já estamos cansados de saber. Contudo, parece que a capacidade dos grotescos candidatos - a cada eleição - em piorar o discurso e fazer despencar o nível é também uma ladeira sem fim.
Fico me sentindo um imbecil diante daquele monte de caras-de-pau falando toda a sorte de besteiras e impropérios. É uma afronta à inteligência de qualquer cidadão mediano.
Para chamar o horário eleitoral de circo já não falta mesmo mais nada, uma vez que nesta eleição temos até o palhaço Tiririca com o seu slogan imbatível em termos de objetividade e sinceridade: "Vote Tiririca, pior não fica". E o pior é que ele tem razão. O nível da política no Brasil é tão baixo, que talvez o Tiririca, se eleito, não venha a ser o pior parlamentar que o Brasil possa ter tido ou ainda venha a ter.
É preocupante saber que os nossos dirigentes e parlamentares serão (Ou continuarão a ser) pessoas com esse baixo nível de consciência e comprometimento com a coisa pública e com as necessidades e anseios da sociedade brasileira.
Parece que exatamente todos aqueles que não se deram bem em suas carreiras "artísticas" é que resolveram se valer de sua imagem pública para tentar uma vaga na política. Temos candidatos "cantores", "atores", "comediantes", "Ex-BBB's" e, claro, não poderiam faltar as "mulheres frutas" e congêneres alimentícios. A política virou uma autêntica e grande curva de rio. Tudo o que não presta pára nela.
Quanto ao horário político, temos o livre arbítrio de simplesmente ignorá-lo. É fato. Mas, depois de eleitos - e fatalmente muitos candidatos esdrúxulos se elegerão - certamente todos iremos arcar com os inúmeros ônus da política mal feita, que visa apenas interesses menores e pessoais. Nós até poderemos elegê-los e esquecê-los nos próximos quatro ou oito anos, mas os resultados das suas legislaturas e mandatos estapafúrdios com certeza irão aparecer em nossas vidas, seja na forma de ações defeituosas e mal-intencionadas, seja na forma de omissões e descasos.
É líquido e certo: Quem irá levar o chumbo grosso seremos nós, a incauta massa de eleitores.
Por isso, o mínimo que podemos fazer é tentar separar o pouco trigo que existe no meio de tanto joio, e elegermos pessoas com um mínimo de decência, coerência, clareza e honestidade.
A política está tão banalizada, pútrida e mal-cheirosa em nosso país, que parece estar se tornando definitivamente um reduto de aventureiros e aproveitadores. E, infelizmente, não tenho observado muitas manifestações de repúdio a esse estado degenerativo de coisas. Tudo parece estar sendo visto como normal, como aceitável e como parte da vida moderna. Será que essa baixaria na política tem necessariamente que existir? Será que só esse tipo de gente pode se candidatar hoje em dia? Será que político virou mesmo sinônimo de palhaço e pessoa sem qualquer credibilidade?
São essas as questões que me afligem nesse período eleitoral, que é crucial na vida de qualquer país, mas que tem sido encarado por aqui como um grande circo midiático.
Só que, nesse circo, os palhaços ficam sentados na plateia, e costumam ser o alvo das gargalhadas e gozações dos protagonistas das presepadas, que ficam no picadeiro, como centro das atenções.

8 comentários:

Eraldo Paulino disse...

É, meu caro...

Dá mesmo vontade de mandar parar esse trem que eu quero descer. Infelizmente, a democracia no Brasil ainda é sinônimo de votar nas eleições. Se a democracia fosse vista pelo povo, não apenas como a chance de escolher quem vai ganhar uma fortuna durante quatro anos mas, principalmente como uma forma de levar o próprio povo ao poder através de seus representantes, esse certame poderia ser, quem sabe, menos aterrador.

Muito bom, como sempre, meu caro.

Abraços!

AGENTE FOOSE disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
AGENTE FOOSE disse...

Vote Tiririca, pior não fica? fica sim! No fim do poço tem lama!
Caro amigo Alta, não sou partidário, não sou político e muito menos pretendo ser. Sou um cidadão Brasileiro e acima de tudo Carioca, que sente muita vezes em um universo paralelo. Nunca fiz e nunca vou fazer campanha política para ninguém e acho péssimo que país com tantas belezas e com tanto potencial tenha um povo tão desmemoriado.Os políticos fazem as drogas e ninguém lembra depois. E volte e meia ainda surge essas bizarrices coma a candidatura das "celebridades", se é que podemos chama las asim!?. É triste,mas Cabral vai se reeleger, Garotinho vai se reeleger e se bobear... Daqui uns anos o Collor vai ser Presidente dessas Bagaça!!!
Sonho com uma utopia aonde Garotinho será apenas uma criança, Rosinha uma cor e Cabral só nosso descobridor! Brilhante Alta... Vc Fatalmente está linkado! Um grande abraço amigo!

Altavolt disse...

Eraldo e Foose: Obrigado por ampliarem e ilustrarem com maestria e humor essa importante discussão, meus caros. Vocês são sempre bem vindos por aqui! Abraços!

Sweet Toxicant disse...

"Será que político virou mesmo sinônimo de palhaço e pessoa sem qualquer credibilidade?"

Alta, os valores se inverteram de tal forma por aqui que, na verdade, aqueles que tentam ser corretos e conscientes é que são tachados de palhaços e não têm credibilidade nenhuma... Lamentável.

Mas, a verdade, é que todos nós podemos fazer parte da política. E não é só votando (ou tentando votar) correto nas eleições. É participando, agindo. Não adianta reclamar que o governo não resolve o problema do lixo. Algumas pessoas nobres se dignam a passar informações sobre meios de reciclar, reaproveitar, economizar, mas as pessoas ignoram, fazem vista grossa. Resumindo: querem mais é ter um bode expiatório para cobrar por aquilo que todos nós podemos fazer em conjunto.

Esses babacas só pisam no povo porque o povo se deita no chão para isso.

Como infelizmente ainda somos minoria a reconhecer nosso papel fundamento neste planeta que não nos abriga por mero acaso, ainda ficamos nos revoltando dando murro em ponta de faca...

Eu gostaria muito de acreditar que um dia a sã consciência cairá sobre as mentes de todos os seres humanos.

Luna Sanchez disse...

Oi, Alta! Volteeeeeeeei!

Sabe que fiquei chocada ao ver o estilista Ronaldo Esper usar o próprio delito como chamada de campanha? Ele ri e fala "de vaso eu entendo, vocês sabem", referindo-se ao vaso que furtou de um cemitério, ou coisa assim...

Definitivamente não me surpreendo com mais nada depois dessa. =\

Beijo pra ti!

ℓυηα

Altavolt disse...

Luna: Realmente, nada mais nos surpreende! Bom retorno! Beijo!

Menina Misteriosa disse...

Alta,
Dia desses vi uma reportagem analisando o porquê dos jovens, que ainda se valem do voto facultativo, estarem perdendo o interesse pela eleição, mais e mais, a cada ano. Dentre de tantas teorias e justificativas, grita a pergunta: podemos culpá-los? Como levar a sério algo que insiste em se fazer piada?

Saudades, Alta!
Beijo

MeninaMisteriosa

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...