quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Programa Hipocrisia Zero

Um dos meus lemas neste blog é a busca incessante e insana pela hipocrisia zero. No entanto, muitos podem não compreender exatamente o que este doidivanas que vos fala pretende com esse inalcançável objetivo. Uma vez que é sabidamente inalcançável, para que se desgastar com essa luta inglória?

Vou procurar esclarecer. É claro que, adulto e vivido que sou, sei que jamais iremos deixar de conviver com a hipocrisia neste mundo em que por hora habitamos.

Sei que muitos vão dizer que a hipocrisia é inerente ao ser humano. Que faz parte da vida moderna. Que sem uma boa dose de hipocrisia não se vive, etc. etc.

Apesar de saber e vivenciar tudo isso, sou um cara chato, que, paradoxalmente, na medida em que foi envelhecendo, foi ficando com a tolerância cada vez mais baixa para a mentira e a desfaçatez humana.

Por tudo isso, acredito fortemente que temos condições, sim, de reduzir as emissões de hipocrisia no nosso meio ambiente.

Eu nem falo de política, meio em que a hipocrisia nada de braçada e já começa a se estabelecer (pasmem!) como o padrão de conduta aceitável e esperado de todos os políticos.

É lamentável chegarmos à conclusão de que elegemos os políticos para que - no mínimo e na melhor das hipóteses – venham a enganar e iludir todo o seu eleitorado.

No dia a dia, temos visto, presenciado e sofrido muito com as doses cavalares de hipocrisia que andam por aí. O puxa-saquismo desenfreado. A ultra-valorização das pessoas, empresas e instituições que detêm o poder econômico e político nos seus respectivos campos de atuação. A bajulação desmedida daqueles que supostamente - nesse nosso mundo tão equivocado – valem ou representam mais que os outros.

Não vejo, sinceramente, nenhum sentido em colocarmos seres humanos em patamares diferentes de importância, por mais que isso seja a moeda corrente que nos impinjam hoje em dia. Nada, no meu entender, justifica que uma pessoa seja tratada ou tenha mais privilégios do que outra.

Luto, isto sim, para que todos, absolutamente todos, sejam tratados com respeito e civilidade, independentemente da posição que estejam ocupando em nossa sociedade.

Entendo que a verdade, a sinceridade e o respeito mútuo devam pautar toda e qualquer relação em que estejamos envolvidos, seja ela sentimental, profissional, familiar, comercial e, claro, por último, mas não menos importante, no exercício da nossa cada vez mais combalida cidadania.

Apesar de ingênua, e admito isso, a minha luta também é para que tenhamos cada vez mais relações e contatos em que a mentira, a desfaçatez e a falsidade deixem de pairar, onipresentes. Que tenhamos o direito de não gostarmos e de não termos afeição por determinadas pessoas, mas que isso possa ser colocado e vivido, sem maiores traumas, e que apesar das antipatias e reservas, mantenhamos relacionamentos justos e imparciais com elas.

Acho lindas as manifestações de carinho e apreço pelos amigos de verdade. Porém, considero que as homenagens devam ser sempre verdadeiras e sinceras. Jamais vocês me verão elogiando ou enaltecendo pessoas a quem não julgo verdadeiramente merecedoras de tais honras. Os meus grandes amigos e ídolos trato com carinho, respeito, justiça, amor e amizade. Os meus colegas e pessoas menos queridas, trato com respeito e justiça. Simples assim.

Tenho certeza de que todos viveremos infinitamente melhor num mundo menos hipócrita e mais sincero. Precisamos resgatar as crianças que temos dentro de nós. Elas são mestras na arte de viver com verdade e sem hipocrisia.

6 comentários:

Luna Sanchez disse...

Alta,

o poder move o mundo, e a bajulação está intimamente ligada a ele.

Não vejo com otimismo o fim desse círculo vicioso, infelizmente.

Beijo, beijo.

ℓυηα

Menina Misteriosa disse...

Sua forma de pensar me agrada. Sim, é difícil. Mas porque não desejar, não tentar?!
Sinto a hipocrisia muito forte principalmente no ambiente de trabalho. Me assusta.
E acho que é um aprendizado constante valorizar quem se gosta e ter coragem de assumir que não temos que ter empatia com todos. Isso não é crime, não há motivos para mentir ou camuflar os sentimentos.
Boa reflexão!
Um ótimo final de semana pra você,
Beijos

Sweet Toxicant disse...

Alta, assino embaixo!

É difícil conviver com a hipocrisia, mas é possível não se envolver nela. A consequência é ser excluído (ou excluir-se voluntariamente) de alguns eventos sociais e tal... Mas se for pesar bem na balança, ainda saímos ganhando.
Eu sinceramente não faço questão de estar rodeada por pessoas que não tenham a ver comigo. E ter a ver comigo não precisa gostar do que eu gosto, nem pensar como eu penso. Basta ser autêntico e sensível, cada um com suas peculiaridades. Valorizo os poucos amigos, mas os bons. O restante, os hipócritas com suas festas e rodinhas, podem ficar longe que eu não me importo. Uma coisa que eu não sei fazer é média.

Me pergunto como ainda tenho o meu emprego... rsrsrs

Beijos, querido! Saudades!
E mantenha-se firme com seus princípios, você só tem a ganhar.

Déia disse...

A hipocrisia está por toda parte... é incrível... na política, na igreja, na vizinhança, nas relações..

Chega a me enojar!

Eu prefiro ser antipática a bajular alguem que não suporto!!

Por falar nisso rsrsrs passa lá no céu : http://aceuabertodaboca.blogspot.com/
Meu texto fala um pouco disso tb, só que cheio de humor kkkkk

bjinhos

Altavolt disse...

Luna, Menina, Sweet e Deia:

Valeu, meninas, por terem compactuado comigo nessa batalha para ao menos minimizar um pouco a hipocrisia reinante. Beijos a todas.

PS: Deia, eu já havia passado (e comentado) pelo seu divertidíssimo post!

Idiota disse...

Vim pela indicação do Céu Aberto da Boca e não me arrependo. Andarei sempre por aqui.
Convido a conhecer o nosso espaço ridículo e patético http://cagadadeurubu.blogspot.com

Bom 2010 com menos hipocrisia

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...