terça-feira, 1 de março de 2016

QUE TAL?

Como bradam e vociferam os estúpidos, preconceituosos e ignorantes!
Para cada brado, uma alternativa.
Em vez de matar, que tal educar bem?
Em vez de prender depois, que tal dar opções de desenvolvimento antes?
Em vez de mérito apenas pelo sobrenome ou ascendência, que tal oportunidades iguais?
Em vez de cartas marcadas, que tal chances para todos?
Em vez de palavras e atitudes idiotas de intolerância, que tal respeitar as diferenças?
Todas - absolutamente todas - as pessoas são diferentes entre si.
Todas têm singularidades, peculiaridades, idiossincrasias.
Que tal considerá-las todas - absolutamente todas - como gente que são?
Que tal não separá-las por cor, origem, opção, aparência, limitações, credo ou status?
Que tal não se achar melhor do que ninguém?
Que tal não avaliar os livros apenas pelas capas?
Que tal parar de chamar menor infrator negro e pobre de bandido e bandido rico, branco, drogado e motorizado de jovem?
Que tal parar de querer apenas para si e os seus e pensar um pouco no entorno e no todo?
Que tal deixar de bajular apenas quem tem dinheiro e poder somente pelo fato dele(a) ter dinheiro e poder?
Que tal parar de dar importância somente a sobrenomes e passar a dar importância a caracteres?
Que tal parar de dar importância apenas a bens e objetos e passar a dar importância a ideias?
Que tal respeitar e tratar bem mulheres e crianças como elas devem ser respeitadas e bem tratadas? 
Que tal respeitar, valorizar e aprender com a sabedoria e experiência dos idosos?
Que tal respeitar, valorizar e aprender com a garra e rebeldia dos jovens?
Ninguém está sozinho, ninguém faz nada sozinho, ninguém é autossuficiente. 

Que tal pensar, sugerir, agir e fazer deste mundo um lugar melhor para todos, absolutamente todos?

2 comentários:

Alexandre Correa disse...

Infelizmente a humanidade jamais aceitará o diferente. Sempre buscará valorizar o que está em destaque, o que dá mais "IBOPE". Como dizia Renato Russo "Se o mais simples fosse visto como o mais importante, mas nos deram espelhos e vimos um mundo doente". Vivemos em uma onda animalesca como cães selvagens brigando e vociferando por território, mas com um pequeno diferencial. Estes seres são manipulados, verdadeiros fantoches controlados pelo poder midiático. A maldade é intrínseca neste ser dito dotado de razão, mas já tenho as minhas dúvidas se este ser é realmente racional. Gostaríamos de ter um mundo mais digno , mas o homem com a sua ganância, egoísmo e preconceito, nunca mudará a sua conduta, pelo simples fato de não aceitar o diferente, como já foi citado inicialmente. A luta de classes sempre esteve presente deste os primórdios de nossa era. Tudo é motivo para criarem desavenças, seja por diferenças raciais, de classes sociais, religiosas, ideológicas e por qualquer banalidade, o homem tem que criar atritos entre si. Uma sociedade justa não acredito que um dia existirá, enquanto este ser dotado de sapiência realmente utilizar esta sabedoria emanada do cérebro, embutida nesta caixa craniana, para criarmos uma sociedade realmente humana.

Altavolt disse...

Fala, Alexandre Cabelo!!!
Muito boas as suas sérias, tristes, mas precisas considerações sobre o nosso comportamento "humano". Infelizmente, devo concordar em quase tudo.
Grande abraço!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...