quarta-feira, 25 de março de 2009

Empurroterapia nos botecos de grife paulistanos

De antemão, peço desculpas aos leitores pelo modo despachado como vou tratar do tema em questão. Mas é necessário desopilar o fígado e por pra fora tudo aquilo que está engasgado na garganta deste homem do século XX.
Em São Paulo, os bares da Vila Madalena são tidos como ótimos pontos de boemia e happy hour, além de estarem sempre lotados, principalmente de jovens ditos descolados e antenados.
Levado pelas dicas de conhecidos, eu, que uma vez por mês encontro alguns velhos amigos para pôr os assuntos em dia, resolvi começar a frequentar o lugar.
Os bares são renomados, e ostentam uma certa grife, se é que essa palavra se aplica ao assunto. Antigamente, boteco era só boteco.
Mercearia São Pedro, Mercearia São Bento e Genésio são apenas alguns desses lugares, muito badalados e frequentados. Eu só queria entender por quê.
Os ambientes variam um pouco de nível. Uns são metidos a sofisticados e outros querem passar a impressão de simplicidade e descolamento.
Os preços, no entanto, são altíssimos. Dignos daqueles que seriam os melhores lugares para se frequentar.
Contudo, o atendimento é sofrível. Os garçons, salvo raras exceções, quase nunca cumprimentam ou são simpáticos aos clientes. Trocam os copos de chopp ao seu bel prazer, sem sequer consultar os fregueses. É a teoria da empurroterapia.
E a clientela, pasmem, acha tudo isso normal. Também ignoram os atendentes. É como se houvesse dois grupos incomunicáveis e de castas diferentes. Quase não há, ou há muito pouca, troca de informações. Só o básico e indispensável, mesmo.
Já falei sobre isso aqui. Acho que sou de outra era, pois sempre considerei que a camaradagem e a sinergia entre os clientes de botecos e os garçons tinham um quê de terapia e psicologia.
Sempre entendi que os bares eram lugares nos quais todos se confraternizavam e trocavam experiências, e não apenas locais em que uns servem e outros consomem, sem a menor interação entre as pessoas.
O que me choca, particularmente, é que tais bares são badalados e tidos como points, mesmo tratando os clientes com casca e tudo. As gerações mais atuais parecem não se importar com isso. Aliás, as gerações mais modernas parecem não se importar com nada que remeta à camaradagem e ao companheirismo. Sinto que há muito egoísmo e individualismo no ar.
Interação, trocas de experiências, ouvir o que os outros têm a dizer, parece que são coisas de um passado remoto. Pelo menos cara a cara. Talvez as pessoas estejam interagindo apenas virtualmente, o que também é lamentável. Não devemos prescindir das tecnologias, mas também não podemos ser escravizados por elas.
Vivemos num mundo onde os modismos e os comportamentos estão sendo ditados de fora pra dentro. Não está sobrando espaço para crítica e autocrítica (sou velho mesmo!). Todos vão na onda, todos seguem bovinamente os padrões e as tendências que alguém cria, e esse alguém lucra muito com os seguidores dotados de baixas auto-estima e capacidade de análise.
Nesses modismos criados e seguidos à risca, bem que podiam inventar que a última moda para as meninas bonitas fosse agarrar os homens mal-diagramados e quarentões e se aproveitar deles com toda a voracidade. Aquela que agarrasse mais mal-acabados na noite seria a vencedora desse hipotético concurso. Nas famigeradas micaretas não ganha aquela que beijar mais homens? Então, na noite paulistana ganharia aquela que devorasse mais quarentões feiosos e mal- ajambrados. Elas fariam muitos dinossauros felizes. Eu ficaria muito feliz com esse modismo. Roupas de grife, piercings, alisamento de cabelos, tatuagens, tudo como dita a moda. E, por último, caça aos quarentões feios, limpos e bondosos. Essa moda seria muito legal e bem-vinda!

13 comentários:

Única e Exclusiva disse...

Empurrando uma nova onda de 'agarramento', é?! Eu já faço isso... já saio com os quareitões mas, precisa ser charmoso, cheiroso, e com um bom papo. ^^

Bjos ú&e

Única e Exclusiva disse...

Errata:: quarentões.

Altamir disse...

U&E, quarentão e cheiroso eu garanto que sou, quanto aos outros quesitos...não posso opinar, rsrs...beijo!

Nando disse...

Altamir,

Há um problema com muitos garçons: não encaram a atividade como profissão, apenas um bico enquanto não arrumam "algo melhor".

São poucos os lugares onde ainda encontramos o garçom profissional e amigo, que nos reconhece e sabe o que vamos pedir, e sabe quando queremos conversar ou quando a única companhia que cai bem é a da loira gelada.

Mas, o melhor de tudo é continuar procurando.

Nando disse...

Pensando bem, um bom garçom tem as qualidades de um bom quarentão.

Altamir disse...

Caro Nando, é verdade. Mas eu quis chamar a atenção também para o descaso que os donos de bares descolados têm com a clientela. Está parecendo que é "cool" hoje em dia destratar ou tratar mal os clientes. Sou do tempo em que quem não tinha competência não se estabelecia. O mesmo tempo em que o freguês sempre tinha razão. Por outro lado, cabe à clientela exigir os seus direitos (O que tb não vejo acontecer, todos estão passivos), principalmente quando está pagando os olhos da cara por uma bruschetta. Num desses bares, sai a R$ 25,00 uma porção com seis unidades! Abraço!

Sininho disse...

Rsrsrs, Alta ai vc me quebra as pernas, que tipo de homem vou procurar então? Se os de enta não sabem o querem, os de vinte só querem curtir e pegar, acho que vou começar a procurar nas faixa dos trinta, meio termo, rsrsrs.

Beijos

Cantinho da Lane disse...

Olá tudo bem? é a primeia vez que venho ler seu blog e adorei! moro em Belo Horizonte, a capital dos bares e butecos, e por incruivel que pareça 99% dos lugares que já fui são assim como vc descreveu.. aind amais o mineiro que tem a fama se ser desconfiado... mas acredito q seja a correria do dia a dia tb. as pessoas esterssdas e só pensando no umbigo delas fazem desses ambientes um local tb a altura.Sem contar a falta de educaçao de alguns clientes e os tratametnos de menosprezos a alguns funcionários fazem destes uns medrosos na arte de cumprimentar um freguês recém chegado. beijoca no coraçao e tenha um ótimo fim de semana!

Flávia Batista disse...

boteco é legal... vou em cois aqui em São Luís!!
adoooooooooooooro!!!

bjs

Pintura em Camisetas disse...

Olá!
Vim lhe convidar para que conheça um pouco do meu trabalho de pintura em camisetas!
Até

http://ramasppfp.sites.uol.com.br/pinturaemcamisetas.htm
http://ramasppfp.sites.uol.com.br/modelos.htm

Sweet Toxicant disse...

É, já passei por lugares assim também, e simplesmente manifestei meu desgosto e não voltei mais.
Eu faço questão de interagir com atendentes, por mais tímida que eu seja.. às vezes acaba até surgindo amizade.

Altamir disse...

Cara Sweet, vc é das nossas...precisamos fazer um HH juntos! Beijo!

minicontosperversos disse...

véio, vem aqui pra curitiba que ainda temos bons redutos da boemia

traz a turminha evamos afogar as mágoas

uma dica daqui? BAR DO PUDIM

uma dica daí? BAR DO MAGRÃO, no pinheiros

há sim luz no fim do túnel

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...